França não é só Paris. E se para fashionistas e chics em geral o primeiro destino é inevitavelmente a capital francesa, epicentro da moda global, uma vez já visitados os grandiosos monumentos e as grandes lojas vale esticar a viagem em algumas paradas de trem adiante rumo ao Sul do país, para conhecer a região de Provence. Além do patrimônio histórico (a região foi colonizada por gregos cerca de 600 A.C. e conquistada depois pelo Império Romano, com vários sítios históricos do período bem preservados para visitação), outro grande atrativo é a oferta de cenários registrados em grandes obras do Impressionismo. Entre uma taça e outra de vinho rosé, é possível passear por cenários já coloridos por Vincent Van Gogh e Paul Cézanne.

A primeira parada é em Marseille, a 1h30 de avião de Paris. Capital Cultural da Europa em 2013 (com programação especial que se estende a Aix-en-Provence, Arles e Martigues), serve como ponto de partida para as pequenas cidades e vilarejos da região, localizada entre Espanha e Itália. Você pode fazer passeios com guias locais para uma imersão ao estilo de vida provençal, com direito a aulas de culinária mediterrânea e visitas a fábricas de perfumes cosméticos de lavanda (como o museu da L’Occitane). Ou optar por roteiros mais elaborados com foco na arquitetura, como o da Cité Radieuse, em torno das construções de Le Corbusier realizadas entre 1947 e 1952, e o Old Port, que em 2013 ganha versão ecologicamente correta do antigo porto da cidade, assinada pelo arquiteto inglês Norman Forster.

 

Église de la Madeleine, Aix-en-Provence (France).

A capital de Provence costumava ser a ensolarada Aix-en-Provence, cidade das águas, fontes e termas, herança dos banhos romanos ali instalados e que hoje foram transformados em boa sorte de spas para tratamentos de beleza em alta temperatura e lama. Há um roteiro focado no trabalho do pintor Paul Cézanne, como o Atelier de Lauves, que mantém objetos que ele usava como motivo para pintar; o caminho de Bibémus, onde ele se hospedou por um tempo para pintar a natureza e especialmente a montanha Sainte Victoire; a casa de sua família, conhecida como a propriedade Jas de Bouffan; além de escolas e cafés por onde circulava o nativo mais ilustre da cidade com seu amigo, o romancista Emile Zola. Uma exposição sobre sua influência ocupa até outubro deste ano o museu Granet, com impressionistas e pós-impressionistas.

Cours Mirabeau, Aix-en-Provence (France).

O coração de Aix-en-Provence é a rua chamada Cours Mirabou, que foi desenhada como uma passarela para que a corte do Rei Louis 14 andasse na sombra e o povo andasse do outro lado, no sol. Até hoje mantém-se esta configuração: serviços estão ao sol; lojas estão à sombra. Junto com a rue Fabrot e rue Marius Reynaud formam o triângulo das compras da região. É também uma cidade muito jovem, por conta das muitas faculdades, e com vasta programação de festivais, de música clássica a world music, cinema, espetáculos de dança e teatro (é a única cidade com apresentações de teatro No fora do Japão).

Blick vom Ufer der Rhone auf Arles-Provence

Em Arles, o tema principal é Van Gogh, que tomou emprestado o vibrante colorido da cidade como tema para o período mais produtivo de sua trajetória, com cerca de 300 peças criadas em 1888. É possível visitar alguns dos temas retratados, como o “A Casa Amarela”, café de “Terraço do Café à Noite”, o jardim de o “Jardim do Hospital em Arles” e ainda os pontos em torno do rio Rhône de onde ele pintou “A Ponte de Trinquetaille” e “Noite Estrelada”. Terra natal de Lacroix, de onde o estilista tomou emprestado muitos elementos da vestimenta tradicional para suas criações, é onde fica hoje a única loja depois de ter vendido sua marca. É também um centro importante de fotografia e abriga até setembro um festival que é considerado “o Cannes da fotografia”.

Place Jules-Pellissier (Saint-Rémy-de-Provence).

Outra cidade que evoca as cores e paisagens de Van Gogh é Saint-Rémy-de-Provence, onde o pintor holandês foi internado no ano seguinte, em 1889. O hospital é aberto a visitação, e sua presença movimenta até hoje o mercado de artes, tendo atraido estúdios e galerias de arte estabelecidos na região. A família real de Mônaco teve a região sobre seu controle no século 17, mas hoje, de volta ao comando francês, serve como balneário de verão para a princesa Caroline. Próximo dali, em Le-Beaux-de-Provence, fica um incrível complexo hoteleiro, com luxuosas opções de hospedagem com vista para as montanhas, como o Oustau de Baumanière ou o La Cabro D’Or.


Avignon é uma cidade menos impressionista e mais gótica, talvez uma das mais góticas da Europa, com forte personalidade medieval desde o século 14, quando serviu como residência para um Papa fora do Vaticano. Além de grande oferta de igrejas e tours religiosos, conta com um festival anual de teatro, com apresentações também nas ruas da cidade, por três semanas em julho. Destaca-se o mercado culinário Les Halles, que fornece os ingredientes e as receitas de uma verdadeira cozinha provençal.

Lavender At Banon, Provence, France

Provence é um destino tão chic quanto Paris, que oferece arte, história e bem-estar com delicioso aroma de lavanda.

Bauduen Lac de Sainte, Provence France

 

 

Fonte:

http://chic.ig.com.br

 

Fotos:

www.worldcitypics.com

Provence sua próxima viagem a Paris