O uso de talheres revolucionou a espécie humana. Comer com as mãos foi um hábito comum até a Idade Média. Historiadores estimam que os primeiros instrumentos criados para levar comida à boca tenham surgido no século 5. Com o aprimoramento e a invenção do garfo e da faca como conhecemos hoje um novo ritual se impôs à mesa.


Ao longo dos anos, poucas mudanças foram vistas no acessório. Mas, a partir do momento que designers e arquitetos renomados resolveram se debruçar sobre o tema, os talheres encheram-se de valor e um design mais sofisticado invadiu as mesas.

Afinal, manejar a refeição com garfos e facas assinados por Zaha Hadid pode dar outra dimensão ao jantar. A arquiteta iraquiana criou suas peças para a WMF. O conjunto, à venda na Spicy, por R$ 948, faz sucesso pelas características linhas sinuosas.

Mas não foi apenas a iraquiana que aceitou o desafio. Marc Newson, Philippe Starck e até mesmo o brasileiro Arthur Casas criaram suas versões, trazendo mais charme ao clássico faqueiro.

Empresas tradicionais, como a francesa Christofle, lançaram mão de designers contemporâneos para se renovar. A marca fundada em 1839 tem contrato com Andrée Putman, que criou a linha Vertigo, e Marcel Wanders, que batizou sua coleção um tanto rococó de Jardim do Éden.

Fabricantes que investem na recriação dos acessórios também vem ganhando destaque com sua ousadia. É o caso da fabricante alemã Konstantin Slawinski, que ganhou o prêmio Interior Inovation Award (organizado pelo conselhor de design alemão), com um faqueiro colorido e montável.

Sucesso também foi obtido pela Alessi ao dar asas a designers como Jean Nouvel, Massimiliano Fuksas e o escritório australiano Denton Corker Marshall. As peças estão à venda na Lovers Design Artcool, no Shopping Iguatemi Alphaville, por preços que variam de R$ 126 a R$ 159.

Mais recentemente, a designer americana Camila Fucili baseou-se na prática de “roubar” comida do prato alheio para criar a linha Stretch, com cabos mais compridos para facilitar a experimentação.

 

Fonte:

http://luxo.ig.com.br

 

 

Designers e arquitetos renomados dão novo significado ao faqueiro