Atualmente, a tendência no mercado de iluminação no Brasil é cada vez mais a utilização de LEDs. Várias empresas adotaram o uso desta tecnologia e os profissionais estão procurando soluções em LED não só no entretenimento (TV, show business, etc), mas também na arquitetura.

E diante de toda novidade, sempre surge à dúvida de qual é a vantagem em adotá-la. E com esses micro-pontos luminosos chamados LEDs – que vêm aparecendo nas lâmpadas e luminárias não seria diferente.


E já respondendo a essa questão, o arquiteto Adelmo Santiago Ramos afirma “Ao contrário de uma moda, os LEDs vieram para ficar. Eles consomem uma fração mínima de energia quando comparados às fontes de luz convencionais existentes no mercado e assim oferecem uma alternativa excelente para poupar os recursos do planeta”, e destaca outras vantagens do uso das lâmpadas e luminárias com LEDs:

• durabilidade (vida útil com cerca de 50 mil horas versus metade ou bem menos horas de outras lâmpadas);

• consumo baixíssimo de energia (poucos watts produzem muito mais luminância);

• resistência física (por serem sólidas e sem filamentos, resistem a vibrações);

• manutenção baixíssima (podem ser usadas em locais de difícil acesso, minimizando a troca de lâmpadas);

• baixa emissão de calor (conforme a potência pode ser utilizada em locais mais sensíveis ao calor);

• miniaturização (com tamanho diminuto, os diodos permitem um vasto leque de usos);

• Custo/benefício compensador (apesar de custarem mais inicialmente, vão durar e economizar muito mais que lâmpadas convencionais – a médio e longo prazo).

Sob o ponto de vista do design, o uso dos LEDs abre enormes possibilidades para o desenvolvimento de luminárias cada vez mais compactas, eficientes e práticas. E podem ser muito originais, surpreendentes, conforme a criatividade do designer.

Na iluminação residencial projetos com LEDs são hoje os projetos mais procurados na decoração de ambientes. Projetos de iluminação com LEDs, além da economia são soluções de arquitetura que muitas vezes dispensam o uso de lâmpadas comuns, principalmente durante o dia em todos os ambientes da construção, mas tome cuidado para não exagerar.

Utilizar-se da construção sustentável, se ganha pontos quem dá preferência para a luz natural, que além de muito econômica também é muito saudável para seus habitantes. Mas não se pode exagerar, pois luz natural significa calor, não faz muito sentido utilizar clarabóias ou até mesmo fachadas de vidro se o interior do ambiente vai requerer um aparelho de ar condicionado, que tem seu consumo três vezes maior por metro cúbico.

O importante em um projeto de iluminação residencial é valorizar sempre a luz natural, não exagerando nas aberturas para não aquecer muito o ambiente, uma boa dica para projetos de iluminação são a decoração e os revestimentos, que influenciam muito na iluminação de cada ambiente, prefira as cores escuras, pois as cores claras refletem muito o calor.

SAIBA MAIS:
Se os 400 milhões de pontos de luz incandescente fossem trocados por LED, haveria economia anual equivalente a 40% da capacidade de geração de energia de Itaipu destinada ao Brasil.

 

Texto de Simone Martin: Twitter: Sisi_Martin

Fontes:

Foto: http://falomelhordoqueescrevo.blogspot.com

Foto: Plínio Dondon

Foto: http://criarquitetura.blogspot.com

Foto: http://casa-e-jardim.hagah.com.br

Foto: http://ecosolaquecedores.com.br


Tecnologia de LED – tendência de iluminação no Brasil e no mundo