Se você está pensando em assinar um contrato de locação por temporada mas ainda está preocupado com os cuidados que deve tomar antes de firmar esse compromisso, saiba que veio ao lugar certo para tirar suas dúvidas.

No momento de descanso e de viajar com o cônjuge ou com a família, a última coisa que queremos é passar por algum problema desnecessário ou ter dor de cabeça com algo que nos deveria trazer conforto e lazer.

Se você quer entender melhor os pontos importantes antes de fechar um contrato de locação por temporada, continue a leitura deste post!

Pesquise bastante antes de fechar o contrato

Não pense em alugar uma casa simplesmente porque achou o espaço bonito ou porque o preço parece bom. Pesquisando um pouco mais, talvez você encontre algo melhor e perceba que o parecia bom não estava à altura do que você está procurando.

Hoje na internet já são muitos os sites que auxiliam as pessoas nessa busca e até mesmo comparam preços entre uma opção e outra. Não seja precipitado e procure planejar a sua viagem com antecedência.

Essa é a primeira dica que deve ser mencionada antes de falarmos diretamente sobre o contrato de locação. Se você não cumpriu essa etapa, não adianta ir para os passos seguintes.

Verifique a idoneidade do anunciante

Conforme dissemos, o meio online já é uma das principais formas de buscar um imóvel para aluguel de temporada, e é natural que você não conheça pessoalmente aquele locatário.

Por isso, é importante que você utilize sites especializados ou mesmo busque uma imobiliária que já tenha algum respaldo nesse mercado para ter mais tranquilidade.

Por meio dos comentários e do formato de avaliação disponibilizado pelo site, é possível ter uma boa ideia de com quem está lidando. Procure também ligar para a pessoa e ter uma conversa sem compromisso com ela para ver se sente confiança com quem está negociando. Se conhecer alguém que já alugou com aquele locatário, melhor ainda — essa pode ser uma excelente fonte de informação!

Conheça a localização do imóvel

Quando dissemos para você pesquisar bem antes de pensar em fechar um contrato é justamente pelo fato de que o imóvel no qual você e sua família estarão hospedados temporariamente pode ser determinante na qualidade dos momentos de descanso que terão juntos.

Vamos imaginar, por exemplo, que vocês estejam planejando ir para o litoral, e o principal objetivo dessa viagem é desfrutar ao máximo a praia. Alugar um imóvel que esteja longe da praia e com poucas opções de transporte certamente será um desgaste que você não vai querer passar. O número de cômodos e a qualidade das instalações também será um diferencial — até mesmo o serviço de Wi-Fi pode ser uma vantagem.

Por essas e outras, avalie bem a localização do imóvel e o que ele oferece internamente. Alguns quesitos benéficos de estar em um bairro com boa infraestrutura são:

  • fácil acesso a meios de transporte — ônibus, táxi ou mesmo a rapidez em ser atendido por um serviço privado por meio de aplicativo;
  • possibilidade de ir a padarias, supermercados e restaurantes sem precisar de percorrer longas distâncias;
  • proximidade a clínicas ou hospitais para eventuais contratempos.

Quando fazemos uma viagem em família, devemos buscar o máximo de conforto, segurança e tranquilidade para que desfrutemos de bons momentos com as pessoas que amamos. Um imóvel bem localizado certamente contribui em todos esses aspectos.

Atente-se aos itens que devem estar no contrato

Agora vamos falar sobre os itens que devem constar no contrato para que você esteja amparado legalmente. Alguns pontos primordiais são:

  • nome, RG e CPF;
  • nacionalidade;
  • estado civil;
  • profissão;
  • endereço completo com rua, número, bairro, CEP, cidade e estado no qual está domiciliado.

Você também deverá fornecer os mesmos documentos para garantir a legalidade do contrato. Caso seja feito de forma independente, ou seja, sem o auxílio de uma imobiliária, é preciso ter o cuidado de verificar se tudo o que foi acordado verbalmente está colocado no texto do acordo e se enquadra nas determinações legais.

Um dos exemplos disso é o fato de que, com a presença de uma imobiliária, é realizado um laudo de vistoria do imóvel que protege tanto o locador quanto o locatário de quaisquer imprevistos. É exigido também um cheque caução ou uma pré-reserva no cartão de crédito para evitar surpresas desagradáveis ao locador. Vale dizer ainda que o prazo máximo para um contrato de locação é de 90 dias.

De qualquer forma, existem alguns itens ou cláusulas que você precisa se atentar:

  • objeto do contrato, que especifica as características físicas e o endereço do imóvel alugado;
  • uso do imóvel, que estipula a finalidade e as restrições de seu uso — geralmente dedicado apenas àquelas pessoas diretamente ligadas ao locatário;
  • obrigações do locatário, que determina os cuidados quanto às regras do condomínio e demais questões necessárias para o bom uso do imóvel;
  • valor do aluguel, que esclarece o valor a ser pago pelo período no qual o locatário estará naquela propriedade;
  • prazo, que estipula por quanto tempo o imóvel estará disponível para o inquilino;
  • multa, no caso de atrasos no pagamento — ficando previamente acordado o valor da multa;
  • condições gerais, que fala da validade do contrato e das demais condições que ainda não tenham sido esclarecidas.

Lembre-se que é sempre mais fácil e seguro contar com o apoio de uma imobiliária, já que dificilmente você saberá por conta própria qual é a validade de certas questões que podem aparecer em um contrato. Não deixe que a máxima do “barato sai caro” determine o insucesso da sua viagem.

Verifique se a oferta foi cumprida

Não basta assinar o contrato se a oferta não for cumprida. Por isso, é importante ressaltar mais uma vez que contar com a intermediação de uma imobiliária pode evitar desgastes em um momento que seria de lazer e descanso.

Isso acontece porque a imobiliária que é séria no serviço que oferece não abrirá espaço para locadores com condutas comprometedoras. A empresa saberá muito bem quais imóveis incluir na sua cartela, a fim de oferecer apenas as melhores opções à clientela.

Mesmo se um problema ocorrer, até por falta de entendimento de algumas das partes — do locatário ou do locador —, a empresa saberá esclarecer os direitos e deveres de cada um com base em argumentos legais, que vão além de interesses individuais.

Inclusive, em situações como essas, não existe nem mesmo a necessidade do locador e do locatário entrarem em contato direto um com o outro. Ficará a cargo da imobiliária resolver qualquer impasse que possa surgir. Em uma situação de férias, é claro que isso se torna uma grande vantagem e comodidade para busca um aluguel de temporada.

Como você pôde ver, são muitas as questões as quais se deve estar atento no momento de buscar uma residência temporária para curtir bons momentos com a família.

Se você gostou de saber como estar atento ao contrato de locação por temporada, aproveite para entrar em contato conosco e conhecer as opções que temos a oferecer!

Contrato de locação por temporada: quais os cuidados com esse documento?